Ribeirinhos da Amazônia ganham reforço na Educação Ambiental

outubro 04, 2018

A trilogia Amazon-Guerreiros da Amazônia, do autor Ronaldo Barcellos acaba de ganhar uma aliada em defesa do meio ambiente. A parceria é com a Turma da Recicleia, projeto que existe há 11 anos e visa levar educação ambiental para escolas e comunidades em regiões ribeirinhas do Pará. Objetivo é fazer com que os alunos possam produzir peças teatrais, oficinas, gibis  e jograis inspirados pelas aventuras dos Amazon, cujo o maior desafio é salvar a floresta da devastação.
Ambos projetos tem a mesma preocupação: incentivar crianças e adolescentes a ajudar na conservação e preservação do planeta. Seja os Amazon através da saga de jovens com super-poderes para salvar a Amazônia e a Turma da Recicléia trabalhando com a reciclagem de materiais. "Temos o mesmo posicionamento que é educar com emoção, usamos personagens para encantar as crianças e dessa forma a mensagem fixa na mente deles", afirma Ronaldo Barcelos.
O projeto Amazon desenvolve ações educacionais e culturais para aproximar a floresta Amazônica ao coração dos leitores. As ações visam estimular o conhecimento sobre a vida na floresta e importância para a sustentabilidade do planeta. 


Turma da Recicléia- Adote essa Ideia
O Projeto Recicléia, surgiu em São Miguel do Guamá, nordeste paraense e ao longo dos anos vem através de cartilhas e peças teatrais fornecer subsídios para tentar melhorar o ensino na rede pública através da Educação Ambiental. A ideia partiu das professoras Lindalva Fernandes e Jociane Freitas, a dupla produz material informativo com assuntos atraentes e de fácil entendimento para as crianças e os professores possam ter uma informação simples e direta sobre Educação Ambiental.
O material didático é distribuído nas escolas e ensina com bom humor a como cuidar melhor do meio ambiente. Os exemplares também dão dicas de como reutilizar os matérias sólidos. Um grupo de estudantes usa o teatro como forma de chamar atenção para a ideia de reciclagem e proteção da natureza.
Intercâmbio Cultural
Decididas  a mergulhar fundo nas questões ambientais e buscar novos temas para as aventuras de Recicléia, a professora Jociane Freitas viajou até o município de Santarém com destino a vila balneária de Alter-do-Chão para pesquisar sobre a cultura dos boto Tucuxi e Cor-de-Rosa que seria tema um futuro livro a ser escrito pela dupla. Assim que desembarcou no balneário, a pesquisadora fez amizade com os moradores. Papo vai, papo vem, Jociane foi informada de que havia um livro muito bacana com a temática ambiental.
Uma senhora de origem indígena disse que seu neto estava lendo um livro chamado "Guerreiros da Amazônia" e que a criança estava muito empolgada com a história. O aluno estudava em uma escola  localizada na Resex Tapajós  Arapiuns e o livro havia sido levado por um professor.
" Eu pedi pra ler o livro, mas a criança não deixou eu ver, era muito agarrada e tinha ciúme quando alguém pedia pra tocar ou folhear o livro. Eu tirei cópia do material e fiquei encantada pelo conteúdo do  livro. Vi que seria uma ótima ideia firmar parceria, pois a Turma da Recicleia poderia criar peças teatrais e cartilhas inspiradas nos Guerreiros", contou.
Parceria
A ideia de unir forças saiu do plano das ideias para se tornar realidade. As professoras foram até o Rio de Janeiro conhecer o autor Ronaldo Barcelos e a visita rendeu bons frutos e planos para o futuro. A primeira ação é levar os livros para as escolas onde o projeto Turma da Recicléia atua, apresentar a saga dos Guerreiros e a partir daí desenvolver  atividades lúdicas tendo o livro como base.
Lindalva Fernandes destacou ainda que as escolas do Pará necessitam de materiais  didáticos com conteúdos atrativos e com temáticas de relevância para os alunos. "A ideia é fazer com que as crianças produzam suas próprias histórias e que possam ser reproduzidas através do teatro, de oficinas, de e congressos", disse. 
Em diversas regiões do Brasil, os livros estão sendo utilizados nas escolas para crianças entre 10 e 14 anos. Segundo os professores, diversos temas educacionais abordados na obra são convergentes com as matérias sobre clima, meio ambiente e florestas tropicais.


Sobre a trilogia
Na Floresta, uma cidade, um segredo. Das sombras surge uma ameaça, um homem terrível com seus capangas e robôs. Do Templo da Luz, um chamado. Três jovens, Armaduras Sagradas e uma missão tão importante quanto à vida. Está começando uma corrida contra o tempo para salvar a Floresta da devastação.
A obra ajuda também a mostrar e explicar de forma simples e objetiva a importância da floresta Amazônica para as crianças que vivem em grandes centros urbanos. Essas, que são a maioria, cresceram sem a conexão com a natureza. A história dos Guerreiros da Amazônia é uma sementinha de esperança para uma geração que definirá o futuro da Floresta e do seu povo nos próximos 15 anos.
Livro encantou alunos indígenas do rio Arapiuns
Alunos indígenas da região de rios de Santarém, criaram gibis que destacam o potencial do meio ambiente e como o ser humano pode ajudar a mantê-lo, tirar proveito, mas sem agredir a natureza. A iniciativa de criação dos gibis partiu depois da leitura da trilogia “Amazon-Guerreiros da Amazônia”, que conta a saga de jovens super-heróis em defesa da floresta Amazônica.
Todo o trabalho de criação ocorreu durante gincana cultural e os jovens usaram como base para os textos temas da realidade local, como desmatamento, pesca ilegal e preservação da floresta.
. Por: Ana Carolina Maia

Você pode gostar também

0 comentários

LER TAMBÉM:

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe