Sessão da Saudade contará com obras inéditas em homenagem aos ex-acadêmicos Gumercindo Rebelo e Elias do Rosário

novembro 02, 2018


A Academia de Letras e Artes de Santarém (ALAS) realiza neste sábado (3), às 17h30, no auditório do Theatro Victória, 
a solenidade “Sessão da Saudade”. A programação inclui obras musicais que serão apresentadas por musicistas do Instituto Maestro Wilson Fonseca (IMWF) pela primeira vez em audição pública mundial.
De acordo com o presidente Anselmo Colares, todos os preparativos foram providenciados, inclusive, escolhidos os oradores que vão falar em nome da ALAS, para homenagear os dois acadêmicos falecidos.

Os acadêmicos Renato Aurélio Carvalho Sussuarana e João Bernardo Mota Santana foram eleitos em assembleia geral para falar oficialmente, em nome da Academia de Letras e Artes de Santarém, sobre a vida e a obra de José Gumercindo Rebelo e Elias Lopes do Rosário, representando os acadêmicos.

Os demais integrantes da ALAS vão participar da homenagem, com pronunciamentos espontâneos, destacando a importância da vida e da obra dos ex-colegas tanto como integrante da Academia quanto pela efetiva participação deles nas áreas da arquitetura, das artes plásticas e paisagísticas em Santarém e região.

Anselmo Colares informou ainda que a Sessão da Saudade é uma tradição da Academia, fechada aos acadêmicos, familiares e amigos mais próximos dos imortais desaparecidos. “É uma cerimônia realizada pela nossa academia, ocasião em que os acadêmicos externam o seu sentir, o seu pensar, sobre um longo percurso em que nossos confrades homenageados permaneceram entre nós, destacando o homem e a obra”.

O presidente da ALAS disse também que as homenagens a José Gumercindo Rebelo e Elias Lopes do Rosário serão marcadas por manifestações culturais e muitas emoções tomarão conta do espaço. Colares lembrou que: “um dos últimos atos será a decretação de vacância das cadeiras de números 12 e 17, bem como a divulgação da Comissão de Avaliação sobre a vida e a obra dos possíveis interessados em participar do pleito para ocupar as vagas”. De acordo com o presidente, no dia 29 de novembro a ALAS voltará a se reunir em Assembleia Geral para eleger os novos acadêmicos, que completarão novamente as 40 cadeiras.

Homenagens musicais

Dentre as homenagens, estão as obras musicais “Elegia para Gumercindo” e “Elegia a Elias do Rosário”, de Vicente Fonseca (música) e Renato Sussuarana (letra). A “Elegia”, na literatura, é uma forma poética com caráter melancólico, especialmente escrita em homenagem póstuma.

Na Grécia antiga, o termo “elegeia” reportava-se aos epitáfios para túmulos. Na cultura romana tinha significado mais erótico ou mitológico.

Na atualidade e no âmbito da literatura, elegia é uma forma poética, com caráter melancólico, especialmente escrita como lamentação pela morte de um ente querido.

“Elegia para Gumercindo” possui o gênero musical “canção” com letra produzida por Renato Sussuarana (Santarém-PA, em agosto de 2018), e a música de Vicente José Malheiros da Fonseca (Oiapoque-AP, no dia 29 de agosto de 2018). A composição será apresentada pelo jornalista e cantor barítono Júlio César Guimarães (voz) com acompanhamento de Camerata de Cordas e Flauta Transversal do Instituto Maestro Wilson Fonseca (IMWF) formada pelos musicistas: Edinelson Batista (Viola); Giuliana Corrêa (violino); Jenivaldo Gadêlha (flauta transversal); Sabrina Viana (violoncelo) e Yasmin Almeida (violino).

“Elegia a Elias do Rosário” é uma “marcha-rancho”, com letra feita por Renato Sussuarana (Santarém-PA, 25.09.2018) e música por Vicente José Malheiros da Fonseca (Belém-PA, 26.09.2018). Será executada também por Júlio César Guimarães (voz) com o acompanhamento de Septeto de Sopros e Percussão do IMWF: Ana Lívia Cardoso (clarinete); André Luiz Tavares (saxofone); Agny Gomes (percussão); Aymê Pedroso (trompa); Esther Rayane Ferreira (flauta); Lucas Henrique Silva (percussão); Lucas Montiel (percussão); Jadiel Silva (fagote); Jenivaldo Monteiro Gadêlha (flautim) e Pedro Felipe Nunes (tuba).

José Gumercindo Rebelo
Integrava o quadro da ALAS desde 28 de dezembro de 2004 e até o dia 21 de julho de 2018, ocupando a cadeira número 12, que leva o nome do escritor Gabriel Rodrigues dos Santos. Gumercindo Rebelo nasceu em Santarém, no dia 5 de maio de 1949. Era arquiteto graduado pela Universidade Federal do Pará, em Belém (1977). Santarém sua cidade natal, também conhecida como Pérola do Tapajós, a qual destinou sua Tese Doutoral "Importância do Tombamento de prédios eclesiais como estratégia de desenvolvimento socioeconômico para Santarém e Oeste do Pará", pela Universidade da Coruña (2001).

Elias Lopes do Rosário
Integrava o quadro da ALAS desde 28 de dezembro de 2004 e até o dia 25 de setembro de 2018, ocupando a cadeira 17, que tem como patrono, o músico João Alves Pereira Fona. Elias do Rosário nasceu em Santarém no dia 20 de julho de 1939. Autodidata, era paisagista, desenhista, ilustrador e pintor de inúmeros trabalhos que retratam as belezas naturais da região amazônica e, principalmente, de sua amada terra natal Santarém, assim como as imagens de Nossa Senhora da Conceição, e outros santos. Entre suas mais famosas obras já expostas na Inglaterra, Alemanha e Estados Unidos, destacam-se: “Santarém – 1932”; “Alter do Chão, 5 horas da tarde” e “Assunção de Maria”.

Fonte: Ascom/ALAS

Você pode gostar também

0 comentários

LER TAMBÉM:

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe