Os mitos e a verdades no consumo do peixe. Ele realmente é bom para a memória?

abril 18, 2019

Nos 40 dias que antecedem Páscoa, data cristã que celebra a ressureição de Cristo, a produção de peixe aumenta para atender ao crescimento do consumo do alimento no Brasil. No entanto, dados da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), da sigla em inglês The Food and Agriculture Organization, ressaltam que essa produção tem sido cada vez maior.

Até 2025, a produção da pesca e aquicultura no País devem crescer 104%. Segundo o estudo da FAO, será o maior aumento já registrado na produção brasileira, seguido do México (54,2%) e Argentina (53,9%) durante a próxima década. Campanhas do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS) também incentivam o consumo do alimento, ao menos três vezes por semana, para uma vida mais saudável.

Mas quais os verdadeiros benefícios do peixe para a alimentação?

De acordo com a nutricionista Mirelly Macedo Gonçalves, que atua no Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória (ES), gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospital, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o alimento é uma ótima opção para quem está fazendo dieta, facilita a digestão e ajuda a controlar o nível de colesterol no sangue. “Além de aumentar o colesterol bom (HDL), a pessoa que consome peixe com mais frequência pode reduzir os riscos de doenças cardíacas e o estresse”, ressalta.

Mesmo fazendo tão bem para a saúde, é preciso observar alguns cuidados, principalmente no momento da compra. “É preciso ficar atento na cor do peixe, cheiro e observar se ele está conservado adequadamente”, complementa a nutricionista. Já o preparo do peixe pode variar, e muito, de acordo com os hábitos regionais.

Confira algumas dicas, os mitos e verdades na hora do consumo do peixe, mas sem prejudicar o preparo ou combinação com outros alimentos:

Peixes in natura são melhores que os enlatados?


O alimento fresco tem uma qualidade maior do que o produto já preparado para o consumo, porém, mesmo enlatada, a sardinha continua sendo fonte de nutrientes (ômega-3) recomendada para a saúde.

Comer peixe ajuda na memória?


O consumo do peixe ajuda na proteção do cérebro contra o envelhecimento natural do corpo. Estudos mostram que a ingestão desse tipo de alimento contribui para preservar os neurônios que processam e guardam informações em nosso cérebro, além de melhorar a atenção.

Quem come peixe reduz as chances de ter depressão?

Diferentes fatores podem ser responsáveis pela doença. Os peixes têm ácidos graxos, uma fonte de gordura importante para o nosso cérebro, que ajudam no controle dos sintomas da depressão.

Comer peixe reduz o envelhecimento da pele?


Sim. Com muitos nutrientes, como o ômega-3 e vitaminas A e B, o consumo de peixe melhora a elasticidade da pele e ainda ajuda a diminuir os efeitos do envelhecimento e doenças de pele.

O consumo de peixe melhora a visão?


Além de ajudar no controle dos sintomas do olho seco, consumir peixe reduz os efeitos do tempo nos olhos dos homens e mulheres.

Quais são os peixes que mais ajudam na saúde?


São várias as opções, entre elas estão o salmão do alasca, arenque, bacalhau, sardinha, truta arco-íris, listrado, tilápia, atum, entre outros. O importante é consumir tipos diferentes de peixe para obter diferentes nutrientes. Evite prepará-los em frituras, isso pode afetar o valor nutricional do alimento.

Ascom/PróSaúde

Você pode gostar também

0 comentários

LER TAMBÉM:

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe