Hospital Regional de Santarém realiza procedimento oncológico raro no país

maio 29, 2019

Ao retornar ao Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) para uma consulta, Márcia Érica Magalhães de Sousa, de 43 anos, foi tomada pela emoção. Ela fez questão de abraçar e agradecer aos profissionais que fizeram parte do seu tratamento. Márcia passou por um procedimento chamado de Peritoniectomia Citorredutora com Quimioterapia de Intraperitoneal Hipertérmica (HIPEC – Hyperthermic Intraperitoneal Chemotherapy) no dia 3 de abril deste ano. “É um renascimento. Eu confesso que passei por um milagre, não tem outra palavra para resumir o que aconteceu”, conta, emocionada.

O drama de Márcia começou em 2017, com uma gestação marcada por muitas dores. À época, a explicação para as dores se dava por conta da gravidez de risco, quando ela estava com 41 anos de idade. Com o passar do tempo, as dores aumentaram, mesmo após o nascimento do filho. No final de 2018, seu quadro piorou bastante. Depois de algumas suspeitas, inclusive problema renal, ela passou por uma cirurgia para retirada do apêndice. No entanto, durante o procedimento, foi verificado que o caso era ainda mais grave. Havia um tumor no local. Após a biópsia, Márcia soube que precisaria de tratamento oncológico.

Com o oncologista, iniciou uma investigação profunda do caso. Ela passou por um novo procedimento para limpeza dos restos tumorais e avaliação do local para receber o tratamento adequado. Após essa avaliação, Márcia foi encaminhada ao Hospital Regional de Santarém para ser submetida ao procedimento.

O procedimento consiste em administrar quimioterapia altamente concentrada diretamente no abdômen utilizando um perfusor, que auxilia na elevação da temperatura para 42°. “A cirurgia é uma técnica de altíssima complexidade. Pouquíssimos centros no Brasil realizam essa cirurgia”, afirma o chefe da equipe, cirurgião oncológico Marcos Fortes.

Depois de chegar ao fundo do poço, como ela mesmo destaca, e passar 20 dias internadas, Márcia apresentou uma recuperação muito boa. “Quando eu acordei na UTI [Unidade de Terapia Intensiva] e me vi viva, a primeira coisa que me veio à mente foi agradecer a Deus. Eu tive uma nova chance, é uma oportunidade única de rever meus filhos. O meu medo não era morrer, era de deixá-los desamparados”, diz a paciente, que é mãe de dois meninos: Lucas, de 8 anos, e Lorenzo, de 1 e 6 meses.

Ao longo desse tempo, Márcia recebeu todo o apoio da família e do marido, Valkir Sousa. “Meus irmãos foram meus anjos, junto com a equipe do hospital e o meu marido. Eles foram minhas fontes de luta e jamais me deixaram desistir”, agradece.
O cirurgião Marcos Fortes comemora os resultados alcançados. “A cirurgia foi um sucesso! A possibilidade de cura é acima de 80%, isso é muito bom para gente”, afirma. O tratamento de Márcia, agora, resume-se a consultas de acompanhamento para monitorar se haverá o retorno do tumor.

Avanços na saúde

Em fevereiro deste ano, o Hospital Regional do Baixo Amazonas – que é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) - realizou a primeira cirurgia de perfusão de membros da Região Norte do Brasil. O procedimento teve como objetivo isolar a circulação sanguínea da perna da paciente do restante do corpo, para que ocorresse a aplicação do quimioterápico. A temperatura do membro também foi elevada (próxima aos 40°) para obter uma resposta mais rápida. Com o procedimento, foi possível reduzir o tamanho do tumor e retirá-lo, posteriormente.

O Hospital Regional de Santarém atende casos de média e alta complexidades e presta serviço 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No Norte do País, o hospital avança em serviços de saúde, com a implantação de programas de transplantes renais, cirurgias cardíacas e a consolidação do tratamento oncológico. A unidade atende uma população estimada em mais de 1,1 milhão de pessoas, residentes em 20 municípios do Oeste do Pará.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de onze Estados brasileiros - a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativo, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.

Fonte: Agência Pará

Você pode gostar também

0 comentários

LER TAMBÉM:

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe